Escolha uma Página

Este artigo é para você que gosta de tapete e tem algumas dúvidas na hora de escolher o seu. Qual o tamanho certo? Como combinar com o resto da decoração? Qual o material mais indicado? Quem nos acompanhar sabe que os tapetes sempre foram um assunto meio controverso por aqui, como a discussão gerada no post 4 erros de decoração muito comuns. Há o pessoal que odeia e há aqueles que não vivem sem! O fato é que eles dão certo trabalho que, para alguns, não é compensado pelo benefício e beleza. Particularmente, eu gosto e, apesar de alérgica, eles nunca pioraram nenhuma crise, pois o segredo é sempre mantê-los limpos.

O mais importante é que o tamanho do tapete esteja adequado às dimensões do seu ambiente. Sendo o tapete uma peça chave para demarcação de espaço, causa estranheza quando ele é, de certa maneira, desproporcional ao tamanho do ambiente. É bacana quando o modelo escolhido tem a largura do sofá e que você o posicione desse móvel. Isso faz com que as duas peças pareçam estar em um mesmo plano, eliminando uma possível confusão visual de piso, tapete e sofá. Já em um ambiente grande, fica legal usar um tapete que abrigue todos os móveis do espaço.

Assim, um modelo muito pequeno em frente ao sofá pode ficar esquisito, deixando o chão com cara de piso de banheiro. No entanto, se o seu tapetinho for uma peça especial e cheia de estilo, que você gosta muito e quer mostrar, vá em frente! A sobreposição de tapetes é uma opção. Colocá-lo sobre um modelo neutro pode disfarçar essa estranheza de um tapete pequeno demais.

Contudo, como nós bem sabemos, não se sinta preso a regras. Basta não esquecer a importância da proporção e ter um pouco de bom senso.

E por falar em material, quase todo mundo ama aqueles tapetes peludos, não é verdade? Sejam eles de náilon, lã, retalhos de couro ou lycra, vão bem em todos os tipos de ambientes, desde os moderninhos até os mais rústicos e descolados. Os tapetes de pelos altos são ótimos em locais onde as pessoas ficam descalças, como no home theater e no quarto. Contudo, se você é do tipo alérgico, a limpeza diária pode desgastar mais rápido o seu tapete. Portanto, pode não ser uma boa opção para você.

Vale lembrar que ambientes próximos não devem ter tapetes iguais, se não a coisa toda fica com cara de carpete. O ideal é buscar um denominador comum entre os modelos: pode ser a cor, a textura, uma estampa ou até a moldura de acabamento. Você também pode trabalhar com peças do mesmo tom, mas com tramas e alturas variadas.

 

Já nos quartos com piso de madeira e cerâmica, uma solução bacana é colocar um tapete retangular no sentido contrário ao da cama, de forma que ele fique sobrando nas laterais e na frente.

Para as dicas gerais de manutenção, vale não deixar o tapete exposto ao sol, pois as cores podem desbotar. Lembre-se que quase 100% das manchas saem se forem removidas na hora. Primeiro, você enxuga o local com pano seco ou papel toalha. Depois, com uma esponja (limpa!), aplique a espuma de detergente neutro. Use um pano úmido para tirar o excesso do produto e passe outro pano limpo e seco. A poeira diminui a vida útil do tapete, por isso, passe aspirador diariamente no sentido da trama. Lave seu tapete sempre em lavanderia.

fonte: http://bit.ly/2ybzZYh